20 de fevereiro de 2018

Resenha: Mais Escuro – E. L. James.

em 20 de fevereiro de 2018

21 comentários

Nome: Mais Escuro.
Série: Cinquenta tons de cinza #5.
Autora: E. L. James.
Editora: Intrínseca.
Gênero: Erótico, ficção, literatura estrangeira, romance.
Ano: 2018.
Páginas: 496.
Idioma: Português.
ISBN-13: 9788551002834.
ISBN-10: 855100283X.
Skoob: aqui.

E. L. James revisita Cinquenta Tons com um mergulho mais profundo e sombrio na história de amor que envolveu milhões de leitores em todo o mundo.

O relacionamento quente e sensual de Anastasia Steele e Christian Grey chega ao fim com muitas acusações e sofrimento, mas Grey não consegue tirar Ana da cabeça. Determinado a reconquistá-la, ele tenta suprimir seus desejos mais obscuros e sua necessidade de controle absoluto, e disposto a amar Ana nos termos estabelecidos por ela.

Mas os horrores de sua infância ainda o assombram, e, como se não bastasse, o chefe manipulador de Ana, Jack Hyde, claramente a quer. Será que o terapeuta e confidente de Grey, Dr. Flynn, poderá ajudá-lo a enfrentar seus demônios? Ou será que a possessividade de Elena, sua sedutora, e a devoção perturbada de Leila, sua ex-submissa, vão arrastá-lo para o passado?

E se Christian vai reconquistar Ana, será que um homem tão sombrio e cheio de problemas espera mesmo mantê-la?



Confesso para vocês que chega até a ser cômico o fato de eu estar aqui resenhando esse livro. Quem me conhece, sabe que apesar de ter lido todos os livros lá atrás, na época do lançamento, a escrita de E. L. James está muito longe de ser o tipo de livro que adoro e a história também, em partes.

Mas o que aconteceu? Bom, vou explicar...

Na época em que li os livros pela visão da Anastásia, o Cinquenta tons mais escuros foi o livro que mais me chamou atenção pelo fato de ter tido mais ação, mais segredos e situações que ficamos de fora por se tratarem propriamente do Christian. 

Quando a autora lançou Grey que eu não li, fiquei empolgada com a possibilidade de ter essa visão dele, e devo dizer que fiquei feliz com o lançamento do livro, por isso escolhi lê-lo. Pois depois de tantos anos, vai que a escrita da autora tenha amadurecido? Vai que a mente desse CEO me conquistasse e várias outras possibilidades poderiam ocorrer...

Não sei de fato como resenhar essa história, pois o livro em si é igualzinho ao Cinquenta tons mais escuros, o que muda principalmente é o ponto de vista do protagonista. 

Em Mais Escuro precisamente, temos tudo o que o Christian sentiu no período em que a Ana saiu de sua vida. As suas loucuras, pensamentos, medos e principalmente a necessidade que ele tinha dela.

O que posso citar a mais, que tem no livro, são exatamente as cenas que eu queria ler, mas que tenho receio de colocar aqui e ser spoiler para quem não leu o livro, entretanto, por causa dessas cenas, muita coisa se explica.

O livro em si possui as cenas do presente e vários flashbacks do passado que ajudam o leitor a entender em partes o gênio e a personalidade do nosso protagonista.

Em decorrência do seu passado doloroso, o que encontramos no livro é um Grey totalmente inseguro por não saber como vai ser o seu futuro, uma vez que ele nunca tinha planejado se apaixonar. Uma passagem do livro que me chamou atenção foi uma conversa dele com seu psiquiatra, e na mesma o profissional afirmou que o problema de Christian é que ele está vivendo uma adolescência tardia quanto aos sentimentos. 

Faz sentido? Sim, mas ainda assim me irrita o fato dele ser prepotente, egoísta e "o dono do mundo".
  
Contudo, respeito todos os fãs da série, mas o que posso dizer é que infelizmente não consigo entender o que Christian Grey tem que atrai tantos milhares de fãs pelo mundo inteiro, e ler o livro pela visão dele piora ainda mais, pois os seus pensamentos basicamente se resumem a "Ela vai me deixar" ou "Ela merece ser punida" e justamente isso me deixou desconfortável durante a leitura.

Pensando comigo mesma, acho que o sucesso do livro aparenta ser a ideia de um homem perdido que enxerga na mocinha a sua esperança de melhora, o seu porto seguro. E na mocinha que encontra o príncipe que está bem longe de ser encantado. É arriscado dizer que é um “conto de fadas” pervertido, talvez... mas o clichê e as consequências disso são bem evidentes agora relendo o livro pela visão dele. Christian fala o que uma mulher que busca o “príncipe encantado” deseja ouvir ao mesmo tempo em que ele é aquele “dominador” prepotente que não se importa com nada.

As partes quentes estão no livro, óbvio, não podiam faltar! Mas não tem nada de novidades em relação ao que já lemos no livro passado.

Por ser um livro escrito anos depois, eu acreditava que a escrita e a forma da autora narrar o livro teria evoluído, mas não foi isso que encontrei. A escrita de E.L. James continua simples e comum. Não encontrei nenhum erro de edição ou revisão, a edição do livro é simples, segue o padrão dos demais livros da série e os capítulos não são numerados por números e sim por dias, cada capítulo se equivale a um dia que eles vivem.

A história é interessante para quem já leu os primeiros livros e tem curiosidades, assim como eu, mas recomendo que não vá com muita sede ao pote, pois são poucas as partes em que encontramos novidades do que já vivemos anteriormente.


[QUOTES]


Ninguém pode amar um monstro, não importa o quão compassiva a pessoa seja.

Preciso encarar a realidade de que quando Ana souber meus segredos, ela vai me deixar, e tentar as coisas do jeito dela só vai prolongar o inevitável.

Sou um menino perdido, parado na sua frente. Sem amor. Abandonado pela única pessoa que supostamente tinha que me proteger, porque sou um monstro.

É apavorante. É confuso. É excitante. O que você está fazendo comigo, Ana? Para onde está me levando?

Ela faz com que eu me questione. Ela faz com que eu questione tudo. Ela faz com que eu me sinta vivo. 

Aquela sensação esquisita invade meu peito. Mais assustadora do que a escuridão. Maior. Mais forte. Tem o poder de machucar.  


A mulher que me trouxe para a luz. A mulher que me ama apesar do meu passado, apesar de tudo que fiz de errado. A mulher que aceitou ser minha para o resto da vida.

Classificação:



21 comentários :

  1. Então..rs
    Eu amo o gênero, mas admito sem pudor algum, que mesmo tendo lido todos os livros da saga e ter visto quase todos os filmes(só falta este último),é uma coisa que fiz mais por obrigação de não ficar alienada do que por gostar de fato.
    Não adianta. O casal nunca me convenceu e nunca consegui encontrar um ponto positivo naquela relação.
    Eu li Grey(louca né?),mas desisti de dar sequência nisso. Tipo, cheguei no meu limite..
    Mas sei que a autora alcançou milhares de fãs e isso não é ruim de forma alguma.
    Apenas questão de gosto mesmo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu passo a dica, não me atraiu nem quando surgiu essa série, imagina agora que estou saturada de CEo e afins. Mas uma pena aos fãs que o livro não tenha trago novidades e se findou nas mesmices. Pra quem gosta é uma ótima dica.

    Beijos
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem.
    Esse é um livro que eu pulo completamente.
    Não curto nem de longe o gênero e já tive experiência com outros que não me agradaram.

    Mas tem uma legião de fãs, participo de um grupo que tem muitas meninas que amam.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi May!
    Menina você foi bem sincera, temos as nossas discordâncias, mas uma coisa concordo com você, não que seja perda de tempo, mas a autora deveria ter parado na visão da Ana e ter feito um conto sobre a vida do Christian só para saber o que ele passou, pois tinha uma certa incógnita na minha cabeça, mas enfim para os fãs que me classifico como uma kkkkk, fica a dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bom?

    Eu também li a trilogia há alguns anos e confesso que só consegui terminar porque pulei várias partes. Realmente não foi uma leitura agradável para mim e, por isso, optei por não ler as versões do Grey. Apesar de ter a possibilidade de entender um pouco mais sobre ele, percebi que acertei nessa escolha. Eu também imaginei que a autora tivesse amadurecido a sua escrita e pudesse evoluir a história, portanto fico triste ao ver que isso não aconteceu.
    Acho que só lerei outra de suas obras se ela lançar algo fora do mundo Grey vs. Anastasia, pois acho que esse casal já deu. Para mim, poderá ser como a Stephanie Meyer: não gostei de Crepúsculo, resolvi dar uma chance para A Hospedeira e fui surpreendida positivamente, pois gostei bastante da história. Se a James fizer algo assim, talvez eu lhe dê outra chance.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação, mesmo assim :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Acho que tem livros que deveriam parar onde fizeram sucesso, ou seja, este nem deveria ser escrito. Apesar de não ter lido a trilogia eu acho que algumas editoras se aproveitam para ganhar mais dinheiro na história. Mas eu nem sei nada sobre eles, porque não li nem vi os filmes. Vergonha né?

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu acho que o erro foi ter demorado demais pra lançar essas versões do Grey, muita gente ficou cansada e saturada com livros com POV do mocinho. Eu mesmo não me sinto mais atraída por essa leitura, tanto que nem quis pegar pra ler.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Olá, eu só i o primeiro da série. Achei interessante termo os livros também pelos olhos dele. Os fãs certamente se sentirão agradados. Pena que não ganhou uma avaliação tão boa para você.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Então, na época que li a trilogia 50 tons eu amei! Aí fui ler Grey, anos depois e simplesmente detestei!
    Bem vou me arriscar a comprar esse livro porque tenho certeza que vou odiar do mesmo jeito!
    Adorei ler sua resenha e saber um pouco mais para ter a certeza de que não vou ler ele de jeito nenhum! huahuahuuha

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Hoje me pego pensando porque eu amava tanto essa mulher, tentei reler os livros e a escrita dela hoje em dia me soa tão fraca e parece que encontro outra duzias de mocinhos assim em livros eróticos lançados a partir dele. De qualquer modo, creio que 50 tons foi um marco e atraiu muitas leitoras e isso me deixa feliz. Adorei sua resenha, super sincera.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mayara! Eu já li tantos spoilers e opiniões a respeito da série original que não tive vontade nenhuma de ler. Quando saiu Grey, eu acabei não lendo também, mas um amigo meu que leu disse que não valeria o risco. rsrs
    De qualquer forma, bom saber a sua opinião e bom também que não me sentirei culpada por não ler essa "nova" trilogia (as atitudes do Grey também me irritam - e isso pq nem li).
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  12. Olá,

    Esperar novidade de um livro que é POV do mocinho é ser otimista demais haha. Entretanto, adoro essa trilogia (?) e estou muito empolgada por essa leitura, inclusive já até adquiri o ebook de tão ansiosa que estou para saber como será os pensamentos do CG diante do que aconteceu nesse "segundo" livro.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu li o primeiro livro da série sem muita expectativa e, realmente não gostei. Não continuei lendo os outros. Acho lamentável que a escrita da autora não tenha melhorado nesse tempo. Acho que para os fãs da série, que não são poucos, deve ser bem interessante conhecer o ponto de vista do Grey. Gostei muito da sinceridade de sua resenha.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  14. Oiii tudo bem??

    Começo lendo a resenha, bom ela gostou, nossa que legal e de repente, não ela não gostou.
    Eu li 50 tons os 3 e parei por ai, pois não gostei, mas a curiosidade do que seria dos dois venceu por isso li, e não quero ler a versão de Gray.
    Serio, não esperava muito do livro, e após ler sua resenha vejo que tinha razão.
    Bom, apesar de tudo adorei sua sinceridade e a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  15. Olá
    Eu não odeio 50 tons mas também não é o livro. Grey eu nunca tive vontade de ler, na verdade eu odeio livros que contam a mesma história por perspectivas diferentes, acho uma perda de tempo, Mas enfim, sua resenha falou ou que esperava que esse livro fosse. Mais do mesmo.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  16. Mesmo que eu me esforce, nunca entenderei o sucesso da trilogia original, bem como destes livros sob o ponto de vista do protagonista. A escrita da autora é superficial e a trama é muito cheia de furos.
    Passo a dica!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Eu confesso que não consigo engolir a trilogia original e por isso não tive vontade de ler os livros pela perspectiva do Grey. Tentei ler o livro, mas não saí das primeiras cem páginas de tanta antipatia que senti pelo casal principal. Além disso, me incomoda muito a autora romantizar o comportamento dele e justificar com um passado traumático.
    Até acho interessante a ideia de ver a história pela perspectiva do Grey, poderia acrescentar em alguma coisa. No entanto, confesso que me incomodou ler sobre o trecho em que ele conversa com o psiquiatra e o mesmo fala que Grey está "vivendo uma adolescência tardia". Me parece uma tentativa muito frágil de justificar um comportamento dependente, possessivo e controlador.
    Outro aspecto que me desmotiva a ler é que achei a escrita da autora no primeiro livro muito fraca. Pelo que você falou, parece que esse aspecto não melhorou muito. Assim, esse é um livro que não tenho intenção de ler.
    No entanto, adorei sua resenha e a sinceridade com que você falou.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bom?
    Eu não curti os livros da série original quando saíram e por isso esses livros na versão do gray não me chamam a atenção. Curti saber que cenas que você esperava foram apresentadas. Assim como você, não consigo entender o porque do personagem ter atraído tantos fãs ao decorrer do mundo e, por isso, passo a sugestão de leitura da vez.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Olá Mayara,
    Eu não consegui ler 50 tons, eu li o primeiro e o segundo livro, mas não consegui dar continuidade e eu confesso que não entendo o motivo de as pessoas amarem tanto esse personagem. Eu ainda não assisti aos filmes e não tenho curiosidade em ler os livros da perspectiva do Grey. Saber que ele tem esse tipo de pensamento sobre a Ana me irrita ao extremo e, tenho certeza, esse livro não é mim.
    Adorei a sinceridade.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  20. Oi.
    Eu li os livros anteriores, e apesar de considerar uma boa fonte de entretenimento, algumas coisas me incomodam muito e cada vez mais. Como essa coisa de mocinha salvar mocinho problemático com a força do amor dela. Ou todas as atitudes grotescas do mocinho serem prontamente perdoadas porque ele teve um passado difícil (e aqui estou falando como um todo, inclusive a forma que ele trata os funcionários e todas as pessoas ao redor, na verdade).
    Então eu decidi não ler mais, porque esse incomodo passou a ser maior que os pontos positivos.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^



TOPO