26 de outubro de 2017

[HQs & Tal] Atômica – A Cidade mais fria.

em 26 de outubro de 2017

2 comentários
Título: Atômica: A Cidade Mais Fria.
Autor: Antony Johnston.
Ilustrador: Sam Hart.
ISBN-13: 9788594540461.
ISBN-10: 8594540469.
Ano: 2017. Páginas: 176.
Idioma: Português.
Editora: DarkSide Books.
Categoria: HQ, comics, Literatura Estrangeira, Suspense e Mistério.
Encontre no Skoob.
Compre: aqui.

Sinopse: Berlim, outubro de 1989. O muro que dividiu a Alemanha está prestes a cair, feito uma peça de dominó que acabará derrubando também a União Soviética e a impenetrável Cortina de Ferro. A Guerra Fria parece chegar ao fim, mas o assassinato de um agente secreto inglês do MI6 com informações inestimáveis, uma lista que contém os nomes de todos os espiões que atuam em Berlim, deixa claro que os dois lados ainda têm muito o que esconder, como até hoje. Mas, junto ao corpo, não se encontra lista alguma. 

É nesse momento sombrio que entra em cena Lorraine Broughton, a veterana espiã calculista e fria vivida por Charlize Theron nos cinemas. E tudo começou nas páginas de Atômica: A Cidade Mais Fria, graphic novel escrita por Antony Johnston e ilustrada por Sam Hart que a DarkSide Books está publicando no Brasil. Atômica: A Cidade Mais Fria é uma graphic novel com os melhores ingredientes de uma boa história de espionagem: ritmo tenso e uma trama que pode mudar a cada momento — no underground da Berlim Oriental, nada é exatamente o que parece — e inclui um levante popular, contra-espionagem, deserções que dão errado e assassinatos secretos. E o resultado foi tão bem recebido que Atômica já chegou ganhando o Prêmio de Melhor Graphic Novel pela Comixology, no ano em que foi publicada. Como um segredo precioso demais para ser mantido, Atômica acabou parando nas mãos de Charlize Theron. Em pouco tempo, a atriz vencedora do Oscar comprou os direitos da graphic novel para adaptá-la junto com o diretor David Leitch. O filme aborda a história de Antony Johnston com uma pegada diferente, incluindo doses extras de pancadaria e sexo. Quem sai ganhando é o público, que pode combinar duas narrativas que partem do mesmo ponto mas não se repetem. Ao contrário, se completam numa experiência inesquecível.


O destaque da graphic novel é o estilo sofisticado que os autores imprimem à história. Antony Johnston é o autor da premiada série de HQs Wasteland, roteirista do jogo Dead Space e escreveu para personagens como Demolidor e Wolverine. A arte é de Sam Hart, ilustrador inglês que mora no Brasil e tem no currículo quadrinhos como Juiz Dredd e Tropas Estelares. Atômica é para ler nos quadrinhos. Atômica é para ver no cinema. Atômica é para se perder nos becos escuros de uma Berlim que não se encontra nos livros de história. Mais um lançamento da coleção DarkSide Graphic Novel, com o que há de melhor no lado mais escuro dos quadrinhos. Em capa dura, claro, à prova de balas da KGB e do serviço secreto alemão.



Olá! Que tal um pouco de mistério na cidade mais fria!? Vamos começar bem o dia hoje, com a resenha de uma HQ produzida pela Darkside. Hoje tudo vai ser atômico com Atômica – A Cidade mais fria, criado e escrito por Antony Johnston e ilustrado por Sam Hart.
Vamos à resenha?


Atômica conta a história de Lorraine, uma espiã veterana do MI6. Esta é enviada para Berlim atrás de uma lista com os nomes de todos os espiões que atuam em Berlim. Porém, o pano de fundo dessa trama, é nada mais do que a queda do muro de Berlim.

Essa é uma história com um cenário político muito complexo e ainda mais elaborada por envolver espionagem, assassinatos obscuros e muitos personagens em que não se pode confiar. Todo mundo na trama é alvo de desconfiança, e causa no leitor a mesma sensação, qualquer um deles pode ser o grande vilão.

Nessa história o leitor é aproximado ao máximo da espionagem, com siglas e codinomes que numa primeira leitura pode ser complicado de entender e fazer ir e voltar várias vezes ao glossário, ainda mais porque foi mantido muitas das falas em alemão, e novamente tem-se que ir e voltar para ver as traduções que não estão nas mesmas páginas e sim no final do livro, o que me deixou com a sensação de quebra de ritmo na história. Então, se você pretende ler essa HQ, leia tudo de uma vez e leia uma segunda vez depois de ler as traduções e significados das siglas, vai ajudar muito a manter o suspense.

É uma história sem peças soltas, Antony Johnston fez seu trabalho de escritor muito bem feito e criou uma trama sem brechas, deixando o final grandioso.

Quanto a arte de Sam Hart, essa pode causar um desconforto nas primeiras páginas por ser mais rabiscada e pouco visual, ela é mais simples, porém o preto e branco passam a sensação de uma história antiga e cinemática, o que ao final te coloca mais dentro da trama.

Como muitos devem saber, Atômica foi para os cinemas esse ano, estrelado pela belíssima Charlize Theron, e vamos lá... Por mais que as histórias sejam muito parecidas, assistir ao filme e ler a HQ causam muito estranhamento. 

Por que? Primeiramente a HQ é muito mais voltada para a espionagem do que para a aventura, os personagens não seguem padrões de espiões sarados e visivelmente físicos, na HQ é possível notar que ali quem mente melhor, quem se disfarça melhor, é o melhor espião. Tanto é que Lorraine parece um pouco mais devagar e alienada de tudo o que está acontecendo na trama da HQ do que no filme, onde ela obviamente parece mais ativa. 

Mas um é melhor do que o outro? Não, pessoalmente eu amei o filme e acabei lendo a HQ depois dele. Tinha momentos que me irritava a personagem na HQ, entretanto é possível para o leitor se sentir mais próximo dos personagens na HQ, porque eles são muito mais humanos. São experiências muito diferentes, com um enredo igualmente trabalhado, mas visualmente distantes.

Quanto a edição, capa dura da Darkside, não tem como não tecer vários elogios, o trabalho de arte está perfeito, com detalhes cruciais para a finalização de uma HQ de luxo.

É isso aí pessoas! Uma pedida muito legal para quem curte espionagem, política antiga e um pouco de história.

Espero que tenham gostado, deixem seu comentário e até a próxima!

Classificação: 


2 comentários :

  1. Eu fico cada vez mais de queixo caído com os livros que a DarkSide tem lançado. Acredito que seja a Editora que tem as capas mais sinistras e bonitas(amo).
    Ainda não consegui ver o filme na telinha, mas já vi muitas críticas e realmente, no cinema o foco principal são as lutas e a muita ação contida em cada cena. Adoro o trabalho de Charlize e admiro demais a versatilidade da atriz em sempre encarnar seus papéis com maestria!
    Não sou muito fã de Hq's, mas não há como negar que essa edição está belíssima, coisa de colecionador realmente!
    Se tiver oportunidade, quero muito poder conferir!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu AMEI Atômica nos cinemas, cada detalhe do filme era incrível, as cenas de ação, a trilha sonora, a direção, tudo estava perfeito, ainda não tive a oportunidade de ler a HQ mas estou com muita vontade por que gostei muito do filme. As diferenças entre filme e livro causam mesmo certo incomodo as vezes, mas na maior parte das vezes eu não ligo muito para isso, desde que ambas versões tenham ficado boas.
    O traço do autor pode parecer meio diferente no inicio mesmo, mas eu já estou acostumado com outros ilustradores com traço assim, então nao ligo muito para isso.
    A Darkside mais uma vez caprichou muito na edição. <3
    xoxo


    Planeta 94

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^



TOPO