Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

7 de agosto de 2017

Resenha - Dezesseis - Rachel Vincent.


Olá pipou! Cá estou eu com mais uma resenha para vocês! Dessa vez, vamos ler minha opinião sobre um livro que tem intrigado os leitores, que nos trás um mundo onde tudo é milimetricamente perfeito, se é que isso é possível. 

Título: Dezesseis.
Editora: Universo dos Livros.
Título Original: Brave New Girl.
Autora: Rachel Vincent.
Tradução: Eloise De Vylder.
Páginas: 240.
Gênero: Distopia.
Adicione ao Skoob
Onde Comprar: Amazon | UDL.

Sinopse: Em um mundo em que todos são iguais, uma garota se destaca por sair do padrão. Uma história promissora e de ritmo acelerado, escrita por Rachel Vincent, autora best-seller do The New York Times. “Nós temos cabelos castanhos. Olhos castanhos. Pele clara. Somos saudáveis, fortes e inteligentes. Mas só uma de nós já teve um segredo.” Dahlia 16 vê seu rosto em toda multidão. Ela não tem nada de especial – é apenas uma entre as outras cinco mil garotas que foram criadas visando o bem da cidade. Ao conhecer Trigger 17, porém, tudo muda. Ele a considera interessante. Linda. Única. Isso significa que ele deve ser defeituoso. Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela percebe que deve ser defeituosa também. Mas, se ela for defeituosa, todas as idênticas também são. E qualquer genoma com defeito descoberto deve ser recolhido. Destruído. Ser pega com Trigger não apenas selaria o destino de Dahlia, mas o das cinco mil garotas com o mesmo rosto. No entanto… e se Trigger estiver certo? E se Dahlia for mesmo diferente? Subitamente, a garota que sempre seguiu todas as regras começa a quebrá-las, uma a uma…

Cortesia Editora parceira LT 2017 | Universo dos Livros.

[RESENHA]

Distopia. Aqui a autora nos traz um mundo totalmente geneticamente modificado, a cidade onde os eventos são narrados é Lakeview, um lugar onde o principal pensamento é de que tudo faz parte de um todo, não existe o individual. Você surge para um propósito pré-determinado e vai subindo degraus na hierarquia a medida em que cresce e se mostra capaz. A cidade ainda é dividia em cinco - podemos dizer - "frentes de trabalho": Administração, Defesa, Força de trabalho, Especialidades e Artes.

O diferencial dessa saga, é que os cientistas da cidade criam nos laboratórios cerca de 5.000 espécimes idênticos, os famosos clones, que irão para determinada área de trabalho. Cada espécime recebe apenas um nome e um número que se altera conforme eles envelhecem, dai vem Dahlia 16, nossa protagonista.

Dahlia pertence ao posto da Força de Trabalho, e atua no setor de agricultura hidropônica, cultivando frutas, legumes entre outros produtos de consumo.

Nossa protagonista tem dezesseis anos e se destaca em seu meio de trabalho, tanto que é observada por uma instrutora para no futuro ser indicada como instrutora.

[MINHA OPINIÃO]

Para que eu deixe minha opinião e que os leitores compreendam, temos que deixar claro algumas coisas:


  • Todos os espécimes são iguais, com o mesmo código genético, mesma cor dos olhos, cabelo e caraterísticas.

O objetivo dos cientistas é o de criar indivíduos saudáveis, sem falhas, doenças e até os hormônios, para que não haja o interesse romântico entre eles. O orgulho, amor, compaixão e qualquer outro sentimento, não pode ser demonstrado, pois isso pode acarretar no descarte de toda uma série de genoma, ou seja: todas as 5000 espécimes que foram criadas para determinado propósito, teriam que ser destruídas, com isso, Dahlia não pode demonstrar o orgulho que sente ao ter sucesso em seu modo de trabalho. 

"Tento afastar esse pensamento, mas não consigo expulsá-lo da cabeça. Quero ser melhor em tubérculo do que Olive, da mesma forma que eu queria ser melhor que todas as outras em grãos, vinhas e legumes. E não só pela glória de Lakeview".


  • A citação acima é uma demonstração do quanto Dahila se sente em relação ao seu desempenho e como ela tenta se conter para não demonstrar isso.

Assim que entendemos a dinâmica daquela sociedade, percebemos que Dahlia é diferente, pois ela tem seus pensamentos próprios e entende o que acontece ao seu redor de maneira diferente do que aquela programada, logo ela é um perigo para os demais.

Imaginem conviver com 5000 pessoas iguais a você, onde todos agem por um objetivo, você vê tudo aquilo, pensa diferente, mas não pode se deixar descobrir. >> TENSO!

Em determinado momento ela conhece Trigger 17, ele faz parte das Forças Especiais e é líder do esquadrão. É nesse ponto que a protagonista descobre um mundo novo o qual nunca imaginou. A partir daí ela vai em busca de respostas e começa a ação no livro.

Somos levador pela autora de forma gostosa de acompanhar, nunca tinha lido nada da Rachel, mas gostei do modo como somos inseridos na história e principalmente da riqueza nos detalhes, isso faz toda a diferença na hora de nos encontrarmos na trama e assim como os personagens, de nos encantar com a protagonista e seus aliados.

Vou confessar que de início não curti muito a história, mas quando entendi o contexto, fiquei bastante satisfeita. Posso dizer que foi uma grata surpresa. 

Estou arrancando os cabelos com aquele final! O que foi isso, produção?!

Indiscretamente, somos convidados a fazer nossa crítica aos governantes atuais. Ela nos faz questionar posicionamentos e pensamentos. É um livro que cumpre bem seu papel de criar e introduzir um novo mundo aos leitores, com um enredo onde o meio em que vivemos apesar de distópico é muito atual, pois demonstra como estamos totalmente "absortos" do mundo onde vivemos, como é importante sair da concha e peitar o que não concordamos assim como a protagonista. 

"Agora, o que vejo no refeitório não são centenas de idênticas minhas terminando de comer peito de frango, milho com manteiga e feijões pretos, mas uma sala cheia de corpos olhando para o teto com olhos vazios. Centenas de corpos iguaizinhos a mim, mortos"

Eu, sinceramente, estou louca pela continuação! Deixo meus parabéns para a editora Universo dos Livros, que nos trouxe um livro atual e que realmente nos faz pensar na nossa sociedade hoje em dia, em que nos vemos presos aos nossos equipamentos eletrônicos e totalmente desfocados no que acontece ao nosso redor.

[SOBRE A AUTORA]


Uma moradora de San Antonio, Rachel Vincent tem um BA em Inglês e uma imaginação fértil e consistente, considera que este seja mais prático. Ela divide seu escritório com dois gatos pretos (Kaci e Nyx). Rachel é mais velha do que parece, e mais jovem do que ela sente, mas continua convicta de que a cada dia que passa a escrever, mais um dia serão adicionados à sua vida.
Seus autores preferidos são Stephen King, Anne Rice e Faye Kellerman.












9 comentários :

  1. Olá, tudo bem?

    Você realmente foi envolvida pela leitura, não é? Eu sou mega sincera, Distopia, focado em adolescentes, meu deu arrepio só de pensar. Não é muito a minha zona de conforto. Gostei da maneira que você explicou o desenvolvimento da trama.

    ResponderExcluir
  2. Oii! Nossa, que livro incrível! O enredo parece ser realmente envolvente e muito interessante. Fiquei curiosa para saber como será o desenrolar dessa história e como a Dahlia irá lidar com esses novos sentimentos. Espero ler um dia e gostar tanto quanto você, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  3. Um loucuraaa. Imagina esse povo todo igualzinha a você? Kkkkkkk
    Estou loucaaaa pra ler esse livro! Amo o gênero e a premissa dele é incrível. Espero realizar essa leitura em muito breve.

    ResponderExcluir
  4. Gente, esse livro parece que divide opiniões, já vi gente amando e odiando. Eu confesso que não me convenceu e posso estar sendo doida que não ler, mas por enquanto prefiro passar!

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Gosto de distópias, mas confesso que pela capa do livro, não me interessei pela história, essa é a primeira resenha sobre ele que eu leio e agora fiquei curiosa. Vou procurá-lo.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Sou fã de distopias, apesar de não ler esse gênero com frequência, sempre me encanto pelas que leio e com esse livro, acho que não vai ser diferente.
    Essa temática na qual uma sociedade é perfeita, mas tem alguém que se difere dos demais por pensar diferente, de forma crítica, muito me atrai.
    Abraços.

    Blog Impressões de Maria

    ResponderExcluir
  7. Eu amo distopia, mas estou me segurando e só vou ler essa quando a série estiver completa!
    Se bem que ela me lembra muito a série Feios..... Que eu amei também! <3
    Adorei sua resenha! Ansiosa para começar a leitura!

    Beijinhos

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Quando esse livro foi lançado foi um hype nas redes sociais, muita gente lendo e a outra parte querendo ler, porém não me senti atraída por esse livro. Lendo sua resenha, noto o porquê desse livro atrair tantos leitores, e agora que conheço mais da história, fiquei curiosa para saber ainda mais. Com certeza, anotarei essa dica e espero ler muito em breve.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oiii!

    Eu não li ainda essa obra, maaaas quero fazer um dia! Não sou a maior fã de livro de distopia, mas gosto quando são bem escrito e nos faz pensar. Gostei muito das suas pontuações.

    Beijnhos

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^