Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

13 de fevereiro de 2015

Resenha: Cinquenta Tons de Cinza.


Título: Cinquenta Tons de Cinza.

ISBN: 9788580572186.
Páginas: 480.
Tradutora: Adalgisa Campos da Silva.
Edição: 1.
Tipo de capa: Brochura.
Editora: Intrinseca.
Ano: 2012.
Assunto: Romance Erótico.
Idioma: Português.

Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos.


Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondido.


Essa obra da autora E. L. James foi o primeiro livro dela, este que segundo ela foi inspirado na Saga Crepúsculo de Stephenie Meyer, confesso que esse foi um dos maiores motivos que me levou a ler a Trilogia (apesar de até hoje não ter encontrado qualquer semelhança, mas enfim), quando li a sinopse fiquei encantada pensei: “Esse livro vai me prender!”, conhecer a Ana e a forma com que ela meio que foi obrigada a ir até a empresa do MegaMagnata da Industria, no lugar de sua melhor amiga (confesso que fiquei com raiva da Kate no inicio, mas depois, assim como a Ana, amei a Kate, na verdade ela acomete as pessoas a sentimentos extremos a seu respeito) e saber que se tratava de uma moça recatada e inexperiente, me prendeu de uma forma que... “Teria q terminar aquele livro NAQUELE DIA!!”

Cinquenta Tons de Cinza é um livro envolvente, cativante, altamente viciante, eu entrei completamente dentro da estória, sofri com a Ana, fiquei com raiva do Christian de seus medos, regras e amei sua possessividade, acompanhar a Ana desabrochando pelas mãos de Christian, assim como o ver ser lapidado pelas mãos da Ana é algo fascinante, o desenrolar da trama te leva a sentir um turbilhão de emoções.

Ana se vê completamente atraída por esse homem poderoso, intimidador e de olhar enervante, ela por sua vez, não consegue entender como um homem com tanto poder se interessa por ela,(eu particularmente tô’ com a Ana, até hoje não consigo entender, na verdade acho que sei sim, ele não teve o prazer de ME CONHECER!), este homem de gosto um tanto peculiar, deixa bem claro para ela que não está a procura de relacionamento onde envolva “Flores e Chocolates”, ela se vê presa a essa atração descontrolada que sente a respeito desse misterioso e desconcertante homem, e acaba se envolvendo em seu mundo.


- Isso quer dizer que você vai fazer amor comigo hoje à noite, Christian? Puta merda. Será que acabei de dizer isso? Ele fica boquiaberto, mas logo se recupera.
- Não, Anastasia, não quero dizer isso. Em primeiro lugar, eu não faço amor. Eu fodo… com força. Em segundo lugar, ainda tem uma papelada para assinar. E em terceiro, você ainda não sabe onde está se metendo. Ainda pode cair fora. Venha, quero mostrar meu quarto de jogos. Pg. 89


Esse mundo onde envolve tudo o que ela jamais pôde imaginar em sua inocência, mas a verdade seja dita, o que ela realmente almeja é penetrar a camada dura e obscura, e chegar até o coração deste homem, porém ele por sua vez está decidido a lhe proporcionar apenas noites quentes e de um prazer jamais sentido por ela, esse jogo de diferentes interesses te leva a ser abduzida para o interior desse livro, dessas cenas tensas e maravilhosas de uma forma única e inigualável.

A adaptação do livro para o filme é esperada mundialmente para os próximos dias, estreando como protagonista Jamie Dornan no papel de Christian Grey (confesso que até hoje não aceito ele como Grey, mas vamos esperar para ver sua atuação), e Dakota Johnson como Anastasia Steele( ela conseguiu me convencer que será uma boa Ana), direção de Sam Taylor-Wood e roteiro de Kelly Marcel, Patrick Marber, e Mark Bomback. Este que está causando alvoroço em todos os lugares, tantos para as fãs que sofrem com a ansiedade para saber o resultado e para a opinião contraria que já não aguentam mais ouvir, ler ou conversar a respeito desse estrondoso sucesso de bilheteria antes mesmo de sua estréia. Eu estou ansiosíssima para conferir o resultado nas telonas com o ingresso na mão conto os minutos para estar lá.

A quem tenha uma opinião contrária a tudo o que fora relatado aqui, discordando do amor que exista entre o casal e que o livro foi produzido única e exclusivamente para ofender e humilhar a mulher, eu discordo piamente, por isso o título:”Sem Meio Termo, Ou você Ama, Ou você Odeia”, mas super respeito a opinião de cada um, até porque “ O que seria do Baunilha (todo certinho, insosso), se todo mundo gostasse e preferisse o Napolitano (todo selvagem e com várias tonalidades e sabores diferentes)?” Hahahahah e sem mais delongas fico por aqui com minha primeira resenha, espero que tenham gostado, e aproveitem nossos canais nas Redes Sociais e fiquem por dentro de tudo oq rola no mundo dos Livros & Tal...

Beijos e muito Napolitano pra vcs!

Minha nota? É... 10. Isso pq não posso dar mais, pq o Sr. C. G. merece mais muito maaais de mim!


Deixe seu comentário para nós!

2 comentários :

  1. Oi Su... amei a resenha. Somente discordo em um ponto: existe meio termo. Eu amo tanto baunilha qto napolitano. Kkk
    esse livro me dividiu pq nem amo nem odeio. Rsrsrs
    que venham mais resenhas. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a descrição do meio termo, amor baunilha misturado com napolitano, muito boa essa mistura mesmo Marleny, adorei! hahaha. ^_^

      Excluir

Agradecemos por comentar! ^_^